Arquivos mercado de alimentação - Pris Food

Blog

Postado por: admin | outubro 3, 2018


De acordo com o Instituto Foodservice Brasil (IFB), a cada ano os consumidores brasileiros gastam uma fatia maior de seus orçamentos com alimentos no food service. Atualmente, quase 1/3 do orçamento destinado a alimentação é gasto fora do lar.

O setor de food service engloba todas as atividades que vão da produção até a distribuição de alimentos. O que caracteriza o segmento são suas atividades voltadas para consumidor final, que vai adquirir suas refeições em estabelecimentos fora de casa ou então em domicílio. Isso quer dizer que todo estabelecimento voltado para delivery, self-service, fast-food, food trucks ou gourmet, faz parte dessa fatia de mercado.

Quem participou da última Fispal Food Service, uma das mais importantes feiras de alimentação fora do lar, conheceu um pouco das principais tendências e investimentos do segmento para os próximos anos. Mas, se você é um dos gestores da área de produção e comercialização de alimentos e não pode participar, não se preocupe! Listamos aqui algumas das tendências em food service para ficar de olho!

Personalização (1)

Colocar o consumidor e suas necessidades em primeiro lugar é uma tática que sempre traz bons resultados! Por isso, dar a ele a opção de escolher o que colocar em seu prato é uma forte tendência do setor food service.

Muitas empresas já aderiram à ideia de dar ao cliente a possibilidade de escolha entre vários ingredientes ou na apresentação de cada prato. Esse toque pessoal aumenta a sensação de exclusividade e tende a atrair mais público.

Personalização (2)

Para falar sobre personalização é essencial falar sobre embalagens! O uso de embalagens personalizadas, que transmitam os valores e ideias das marcas, também é uma forte tendência em food service.

O motivo é justamente a importância que a embalagem tem para atrair os olhares dos consumidores já no primeiro momento de contato com o produto. Isso sem falar das embalagens inteligentes que transformam a experiência de consumo e facilitam a vida do cliente.

Investimento em Tecnologia

Dados da IFB apontam que, uma das explicações para o crescimento do setor de food service, mesmo em época de retração da economia, é a ampliação da capacidade de atendimento. Hoje,  5% dos estabelecimentos convivem com ao menos quatro formas de atendimento e outros 27%, com três formas. Seja  via “take-away” – em português “levar para casa”, “delivery online” ou outros, há muitas possibilidades nas operações que cruzam ambientes físicos e virtuais.

A tendência é que esses números aumentem ainda mais nos próximos anos. Lembramos ainda das novas plataformas mobile que ampliaram as possibilidades para o food service. Os smartphones e seus aplicativos, sites e até redes sociais são utilizados para atender aos consumidores no setor. Neste sentido, aplicativos próprios dos estabelecimentos, além daqueles que reúnem vários restaurantes em um só lugar, são grandes tendências.

Alimentação Saudável

Vale lembrar que a preocupação com a saúde está em alta nos dias de hoje. E o setor de alimentação está acompanhando esse movimento. Ter no cardápio opções que atendam públicos na busca por alimentação fitness ou light, por exemplo, é uma boa medida.

Se o estabelecimento também oferece opções vegetarianas, veganas e para intolerantes ao glúten e lactose, também se torna inclusivo. Isso é muito bom para o marketing do local e para atrair novos públicos – portanto é uma grande tendência!

Produtos artesanais

Pegando carona no estilo de vida mais saudável, vários consumidores começaram a valorizar mais os alimentos artesanais. Além da preocupação com a tabela nutricional, eles se agradam da cultura “faça você mesmo”, o que consolida o mercado de produtos artesanais, a exemplo das cervejas.

Como vimos, em quase todas as grandes tendências em food service o foco está na busca pela diferenciação. Se você está convencido de que seu estabelecimento precisa inovar para crescer, invista em embalagens personalizadas! Entre em contato conosco e peça detalhes.

Leia outras dicas e artigos no Blog da PRIS Food. Nos acompanhe também nas redes sociais em Facebook e Instagram.





Postado por: admin | setembro 25, 2018


A Fispal, principal feira do setor de Food Service no Brasil, reuniu proprietários e gestores de restaurantes, bares, pizzarias, padarias, lanchonetes e buffets, além de distribuidores e lojistas. Quem visitou, viu de perto como o mercado de alimentação fora de casa cresceu.

O encontro trouxe para os empreendedores ligados ao mercado uma série de inspirações, além de refletir detalhes de um mercado em expansão. Inspirados pelas tendências e inovações apresentadas na feira, trouxemos para esse post uma série de dados e curiosidades do setor de  Food Service.

Se você atua como representante, distribuidor de embalagens e insumos, ou até mesmo como gestor de um negócio de alimentação, veja como os números refletem os hábitos dos consumidores e impulsionam um mercado que, mesmo em meio à crise, não parou de crescer!

Por que o mercado de alimentação fora do lar cresce tanto?

Entre os anos de 2010 e 2016, de acordo com a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia), o faturamento da indústria de alimentos cresceu quase 90% no Brasil. Tudo isso em um cenário de retração econômica.

Dentro desse crescimento, a média do segmento de alimentação fora de casa é de 12,3%. Esses números representam, em grande parte os hábitos da população brasileira. Em seguida, refletem os investimentos que o segmento faz para atender às expectativas dos consumidores.

De acordo com um relatório do SIS/Sebrae o mercado vem se reinventando nos últimos anos. Existem ainda outras motivações que impulsionam o crescimento do setor de alimentação fora de casa. Veja alguns listados pelo relatório:

  • Crescimento demográfico em regiões urbanizadas, o que demanda mais esse tipo de serviço;

  • Modificação da estrutura familiar com aumento no número de casais sem filhos, o que ocasiona na redução nas despesas essenciais do orçamento familiar, e consequente investimento em lazer e novas experiências gastronômicas;

  • O aumento na renda familiar ou individual que demanda um consumo mais qualificado, impulsionando negócios focados em produtos e serviços diferenciados (artesanais, frescos, orgânicos, cardápios para pessoas com restrições alimentares etc.);

  • A crescente participação das mulheres no mercado de trabalho fez com que restasse pouco tempo para as atividades domésticas, como o preparo das refeições, o que também estimulou o aumento da frequência das refeições familiares fora de casa.

Curiosidades – os números do food service brasileiro

O relatório de inteligência do  SIS/Sebrae, sobre o setor de alimentos e bebidas, traz ainda algumas curiosidades sobre o tamanho do mercado de alimentação fora de casa. Veja só:

  • O mercado de alimentos e bebidas representa 10,1% do PIB nacional e estima-se que o segmento de food service abocanhe 2,7% desse montante.

  • Em 2016, o segmento de alimentação fora de casa movimentou R$ 184 bilhões no Brasil.

  • O tíquete médio foi de R$ 13,40, um acréscimo de 8% em comparação ao ano anterior.

  • 56% da população que consome fora de casa tem idade entre 18 e 49 anos.

*Fonte: SIS/Sebrae

O relatório ainda aponta os locais de preferência dos brasileiros quando o assunto é alimentação fora de casa:

27% comem mais nos restaurantes por quilo;

19% em lanchonetes e redes de fast-food;

18% optam pelos restaurantes à la carte;

18% gastam em padarias;

11% em bares;

6%  do comércio ambulante de alimentos.

Trocando em miúdos…

A forma de se alimentar evoluiu ao longo do tempo e a possibilidade de aquisição da refeição pronta para consumo facilitou a vida das pessoas. A praticidade é muito valorizada hoje em dia, já que o tempo em nossa sociedade está cada vez mais escasso e “caro”.

Tudo isso contribuiu para o surgimento de muitas oportunidades para empreendedores do setor de alimentação fora de casa. Como vimos, os números são promissores e ainda há muito espaço para crescer.

Cabe ao empreendedor observar as tendências e saber como usar o comportamento do consumidor ao seu favor. Dessa forma, atender com excelência as necessidades do público ao mesmo tempo em que expande seus negócios no mercado de alimentação fora de casa!

Tem um negócio de alimentação fora de casa e quer se diferenciar em seu mercado? Aposte nas embalagens personalizadas e conquiste os olhares dos consumidores! Entre em contato conosco e peça detalhes.

Leia outras dicas e artigos no Blog da PRIS Food. Nos acompanhe também nas redes sociais em Facebook e Instagram.  





Postado por: admin | julho 16, 2018


Conduzir um negócio nos dias de hoje, seja qual for o segmento, não é tarefa fácil. Para emplacar um produto no mercado é preciso estar atento a uma série de detalhes. A apresentação é um desses detalhes! Muitos empresários ainda não entendem a importância da embalagem. No entanto, ela deve ser vista como diferencial para as vendas. É sobre isso que vamos conversar! 

De acordo com a definição da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE), a embalagem é um “recipiente ou envoltura para armazenar produtos com a função de protegê-los, identificá-los, viabilizar sua distribuição e consumo”. Mas, sabemos que ao longo do tempo ela se tornou crucial e estratégica para a competitividade dos negócios. 

Diante disso, listamos para você alguns grandes motivos que comprovam a importância da embalagem. Também vamos falar porquê ela se tornou um componente decisivo para o sucesso comercial de praticamente todos os produtos. Veja!

A importância da embalagem: consumimos com olhar

Antes mesmo de atestarmos a qualidade de um produto na prática, seja algo comestível ou não, nosso olhar é que decide pela compra. Salvo exceções, a primeira impressão que temos de um produto é fator determinante na escolha. Caso a embalagem não agrade ao nosso olhar, ou não transmita a ideia do que esperamos, é bem provável que ele passe despercebido. 

Por isso, uma embalagem considerada “ruim” pode decretar o encalhamento de um produto. Esse encalhamento pode trazer sérias consequências para as vendas de uma empresa. 

Antigamente, apenas grandes marcas pensavam estrategicamente em embalagens criativas. Essa realidade mudou, acompanhando o movimento de um mercado cada vez mais atento aos detalhes. Hoje, pequenas e médias empresas devem também priorizar esse investimento, reconhecendo a importância das embalagens. Afinal, esse é um item diferencial e essencial para o seu crescimento.

Embalagens têm o poder de “roubar” nossa atenção

Conforme pesquisa realizada pela ABRE, e que ressalta a importância da embalagem, no momento da compra, o consumidor é fortemente influenciado por ela. Por isso, a embalagem pode ser considerada o “vendedor silencioso” de um produto que concorre com muitos outros em uma gôndola de supermercado, por exemplo. 

De acordo com a associação, uma embalagem deve transmitir em apenas três segundos a qualidade e os diferenciais de um produto. Isso vai ativar a atenção do consumidor, ou seja, a responsabilidade pelo movimento de “amor à primeira vista”, é da embalagem! 

Mas, depois de cumprir sua primeira missão, “roubando” a atenção do consumidor, ela também deve despertar o desejo de compra. A embalagem também tem o poder de convencê-lo que o preço que está sendo pedido pelo produto é justo. Por isso, encontramos produtos muito parecidos uns com os outros e o consumidor aceita pagar mais caro pelo que demonstra mais valor ao seu olhar. Afinal, as boas embalagens têm a função de agregar valor aos produtos e justificam, diante a atenção do consumidor, o preço que está sendo pedido por ele. 

Esses são apenas alguns dos aspectos que fazem com que a embalagem ganhe lugar de destaque. Quer saber mais sobre a importância da embalagem? Continue lendo sobre o assunto em: O impacto da embalagem na venda de produtos alimentícios.

Quer saber mais sobre o poder da embalagem como diferencial da sua marca e produto? Entre em contato conosco!

Leia outras dicas e artigos no Blog da PRISFood. Nos acompanhe também nas redes sociais em Facebook e Instagram.